Plantas adaptadas

 

A zonação da vegetação dunar está estreitamente correlacionada com a distância à linha da costa, isto é, até onde o mar exerce a sua influência. 
Esta influência traduz-se numa variação direcional de vários fatores ecológicos, tais como a salinidade, a mobilidade das areias, a velocidade do vento e a temperatura (variação). 
Em direção ao mar aumentam a salinidade, a mobilidade das areias e a velocidade do vento, diminuindo a temperatura média anual também nesse sentido.
Ao longo deste complexo gradiente instala-se uma série de comunidades vegetais que, numa condição ideal, aumentam de complexidade desde as dunas embrionária e primária até às dunas estabilizadas. 
Enquanto as comunidades das dunas embrionária e primária têm grandes áreas de distribuição e são pobres do ponto de vista florístico, sendo colonizadas por espécies também com grandes áreas de distribuição, nas dunas secundárias, a diversidade de comunidades e espécies endémicas é maior.

 

Adaptação das plantas à vida nas dunas


As plantas das dunas evoluíram para fazerem face a este meio agreste onde ocorrem flutuações de temperatura drásticas entre a noite e o dia, e onde a falta de água e nutrientes são também consideráveis. 
As particularidades da flora do litoral são consequência, essencialmente, dos seguintes fatores: 
• Falta de água - de forma a maximizarem o conteúdo orgânico de água, num meio xérico, algumas das espécies vegetais adaptadas ao litoral possuem a capacidade de acumular este elemento, tornando-se suculentas, como o caso da Eruca-marinha
• Perda excessiva de água - ao nível das folhas, verificam-se as seguintes modificações: 
- presença de cutícula espessa ou textura coriácea e mesmo espinescente, como é o caso do Cardo-marítimo
- revestimento por um denso tomento, como no caso do Cordeirinho-da-praia
- enrolamento das folhas, para diminuir a superfície de evaporação: é o caso de várias gramíneas como o Estorno
- redução do tamanho ou a sua disposição como é o caso, respetivamente, da Perpétua-das-areias e da Morganheira-das-praias
• Mobilidade das areias, soterramento e disponibilidade de nutrientes: por forma a ultrapassar isso, algumas espécies dispõem de um sistema radicular grande, como é o caso do Estorno que possui rizomas entrecruzados que retêm as areias, e que crescem em direção à superfície despontando sob esta.

Cardo-marítimo

Cardo-marítimo

Cordeirinho-da-praia

Cordeirinho-da-praia

Eruca-marítima

Eruca-marítima

Estorno

Estorno

Morganheira-das-praias

Morganheira-das-praias

Perpetua-das-areias

Perpétua-das-areias

 

Câmara Municipal de Gaia

Rua Álvares Cabral 4400-017 Vila Nova de Gaia

Contactos

Parque Biológico de Gaia

R. Cunha, 4430-681 Avintes, Vila Nova de Gaia, Portugal



Parque Dunas da Aguda

Praia da Aguda, 4410-467, Vila Nova de Gaia, Portugal

© 2018 Municipio de Gaia. Todos os Direitos Reservados. Desenvolvido por Municipio de Gaia

 

Câmara Municipal de Gaia

Rua Álvares Cabral 4400-017 Vila Nova de Gaia